Gamers Golpes nº 06

ESSA REVISTA SERÁ REFEITA PARA SE ENQUADRAR NO NOVO PADRÃO DE QUALIDADE RETROAVENGERS

Uma revista obrigatória para quem gosta de jogos de luta. Vale a pena conferir!

Gamers Golpes Nº 06

Editora: Escala
Data de publicação: desconhecida
Digitalizado por: crimsonphoenix
Editado por: crimsonphoenix
Qualidade: 300dpi
Número de páginas: 48
Formato: PDF e CBZ
Tamanho: 54MB

Nesta edição:

Breve análise e golpes dos jogos: Real Bout Fatal Fury Dominated Mind, Street Fighter Zero 3, Street Fighter, EX 2 e Tobal 2!

Ação Games nº 04

ESSA REVISTA SERÁ REFEITA PARA SE ENQUADRAR NO NOVO PADRÃO DE QUALIDADE RETROAVENGERS

Com esta edição da Ação Games, fica visível o quão difícil era fazer uma revista antigamente.

Ação Games Nº 04
Digitalizado por: crimsonphoenix
Editora: Azul
Data de publicação: agosto de 1991
Editado por: crimsonphoenix
Qualidade: 300dpi
Número de páginas: 68
Formato: PDF e CBZ

Tamanho: 71MB

 Nesta edição:

– A edição já começa com as cartas dos leitores!
– SOS Games, aprenda a passar de certa parte do jogo!
– Shots, as notícias marcantes da época!
– SEGA x Nintendo! Detalhes da famosa guerra!
– Select, os lançamentos nacionais e internacionais de games!
– Clube Ação Games, espaço para publicação de clubes, classificados e locadoras de games!
– Assim nascem os videogames. Detalhes exclusivos do processo de criação da Tec Toy!
– Super Estratégia, dos games Battletoads, Ghost Busters e Psycho Fox!
– Top Secret, as melhores dicas de games!

Ação Games nº 120

ESSA REVISTA SERÁ REFEITA PARA SE ENQUADRAR NO NOVO PADRÃO DE QUALIDADE RETROAVENGERS

Finalmente aparece uma Ação Games neste blog! Se você gosta desta revista, leia também a história da publicação no especial!

Ação Games Nº 120
Digitalizado por: crimsonphoenix
Editora: Azul
Data de publicação: outubro de 1997
Editado por: crimsonphoenix
Qualidade: 300dpi
Número de páginas: 48
Formato: PDF e CBZ

Tamanho: 56MB

Nesta edição:

– As cartas dos leitores aparecem na seção X-Salada!
– Já as notícias você confere na seção Shots!
– Especial, a história de Mortal Kombat!
– Diversos reviews com dicas!
– Golpes dos personagens do jogo Marvel Super Heroes!
– Dicas para todas as plataformas!

Especial: História da Ação Games

Em meados de 1990, as crianças só pensavam em brincar, gastar toda sua enorme quantidade de energia com brinquedos e sua turma. Nesta mesma época muitas destas crianças dividiam o tempo de brincadeiras em grupo com os videogames, mas muitos dos games da época eram extremamente difíceis,por isso era necessário buscar informações para jogar, por isso surgiram algumas revistas para auxiliar o jogador, nas mais diversas tarefas do game. Uma delas foi a Ação Games, uma das revistas mais queridas dos gamers brasileiros.

COMO COMEÇOU?

A revista foi lançada como complemento da Semana Em Ação, uma revista  que abordava temas em geral para o público jovem, então em dezembro de 1990 a editora lançou o complemento A Semana em Ação: Especial Games, o especial abordava o sucesso dos jogos de videogames provocados pelos consoles de terceira e quarta geração. Como a revista foi um sucesso e destacavam-se as palavras Ação e Games na capa, a editora resolveu publicar em 1991 a revista Ação Games, sob o comando da jornalista Regina Gianetti.

Capa da lendária nº 01
Capa da lendária nº 01

A revista tinha um padrão diferente, suas folhas eram maiores e mais coloridas, não era mensal como as outras, mas sim quinzenal, o que lhe oferecia vantagem sobre as outras e abordava temas para todos os públicos. Os “pilotos” de games, também foram usados pelos editores da revista (já que nenhum jornalista da época tinha experiência com games) para jogar enquanto profissionais tiravam fotos das telas. As informaçõs chegavam a revista por meio de publicações internacionais, como EGM e Game Pro, pois no país não existia informação. Existiam até comerciais na TV e propagandas em programas televisivos, para a popularização da revista e até era referência para outras revistas e jornais do país. A revista mostrava as qualidades de todos os consoles da época, por isso ela agradava tanto as pessoas que possuíam Super Nintendo e Mega Drive ou até mais tarde quem possuía Playstation 2 e Game Cube.

FOLHEANDO CULTURA

O conteúdo da revista era tinha bastante conteúdo, os maiores lançamentos de games, os jornalistas da revista cobriram diversas feiras de games do mundo inteiro lhe oferecendo as novidades mais marcantes, a linguagem que os jornalistas usavam tornava a leitura mais agradável para o público-alvo inclusive os redatores incluíam legendas engraçadas nas imagens, os detonados continham bastante detalhes e até imagens para melhor desempenho do jogador e grandes matérias que só podiam ser vistas nas páginas da revista. A revista passou por várias mudanças, uma melhora de papel e novo formato da revista, que ficou no mesmo padrão das demais abandonando sua maior diferença, uma nova fonte também foi usada para a escrita e novas idéias apareceram para tentar retomar o brilho, que já estava apagando.

f2e22-ac3a7c3a3ogamespagina
As páginas estavam repletas de informações que você precisava!

ENCERRANDO AS ATIVIDADES

Os leitores que acompanharam a revista foram crescendo e a revista continuou tentando  não conseguia mais suprir as necessidades dos jogadores adultos, ou seja, a revista perdeu seu público e as vendas cairam vertiginosamente, também existia o problema com as concorrentes que tomavam cada vez mais o espaço e o golpe final veio com a internet, já que as informações eram mais rápidas por meio dela. a editora já não queria manter a revista e decidiu descontinuar a publicação no número 171 de janeiro de 2002, publicando até uma carta de despedida para seus leitores. De acordo com o último editorial, a revista deixaria de ser mensal e seria lançada como especiais sem periodicidade.

2e154-acao_games_comunicado_final
O comunicado de encerramento da assinatura e publicação.

A revista Ação Games virou uma verdadeira lenda nos anos 90, por ter sido uma das primeiras revistas especializada em jogos de videogames no Brasil. Era uma revista bastante conhecida, vendida em praticamente todo o território nacional, mas agora só fica nas lembranças (ou nas estantes de colecionadores) dos gamers brasileiros.

Confira logo abaixo o especial do UOL sobre a Ação Games:

EDGE Brasil nº 18

ESSA REVISTA SERÁ REFEITA PARA SE ENQUADRAR NO NOVO PADRÃO DE QUALIDADE RETROAVENGERS

Que tal ler a última edição da revista EDGE Brasil? Sim a edição de número 18 foi a última que a editora publicou. Confira a revista EDGE Brasil, com suas capar super conceituais e conteúdo de primeira!
EDGE Brasil Nº 18

Editora: Europa
Data de publicação: novembro de 2010
Digitalizado por: crimsonphoenix
Editado por: crimsonphoenix
Qualidade: 300dpi
Número de páginas: 100
Formato: PDF e CBZ
Tamanho: 105MB

Nesta edição:

– Uma breve história da Realtime Worlds!
– Confira a entrevista com Tim Schafer e também a entrevista com o mestre Shinji Mikami!
– Jogos de rede sociais ganham destaque na seção Indústria em Foco!
– Christophe Kagotani lamenta a divisão entre mercado ocidental e oriental Direto do Japão!
– Hype o futuro do entretenimento!
– Um encontro com Bobby Kotick, CEO da Activision Blizzard!
– Diversão grátis, a evolução dos jogos gratuitos!
– Tomb Raider II aparece na seção Continue!
– Making Of, Incidente em Varginha!
– Code Shop, por dentro do desenvolvimento de jogos!
– Não deixe de ler as crônicas dos especialistas!
– E também as cartas dos leitores!

Super GamePower nº 134 (Fanzine)

Os leitores de revistas de games, realmente são apaixonados pela Super GamePower. A paixão foi tão grande que após o término da publicação, um grupo de fãs decidiram fazer uma edição, aos moldes da antiga. Confira o resultado!

Super GamePower nº 134

Uma produção independente sem fins lucrativos.
Data de publicação: julho de 2009
Número de páginas: 32

PDF: X2N

 

Game Over nº 05

ESSA REVISTA SERÁ REFEITA PARA SE ENQUADRAR NO NOVO PADRÃO DE QUALIDADE RETROAVENGERS

Alguém aí se lembra desta revista? Pois eu me lembro pouco dela, a primeira edição que comprei já era o relançamento, para acabar com o estoque e não me lembro ao certo qual número foi. Mas enfim, apesar de ser um pouco desconhecida, rende uma boa leitura.

Game Over nº 05
Editora: Escala
Data de publicação: desconhecida
Digitalizado por: crimsonphoenix
Editado por: crimsonphoenix
Qualidade: 300dpi
Número de páginas: 52
Formato: PDF e CBZ

Tamanho: 78MB

Nesta edição:

– Game Cube nacional é destaque nas News!
– Muitas análises de games e curiosidades também!
– 16 Dicas do game Onuimusha 2!
– Aprenda a cuidar do leito ótico do PS2 usando as Dicas Técnicas!
– Confira a segunda parte do detonado de Castlevania White Night Concerto (Harmony of Dissonance)!
– E o Test Drive do controle sem fio Wave Bird de Game Cube!

Nintendo World nº 63

ESSA REVISTA SERÁ REFEITA PARA SE ENQUADRAR NO NOVO PADRÃO DE QUALIDADE RETROAVENGERS

Nada melhor que passar o feriadão lendo uma revista de games, ainda mais se for uma com conteúdo Nintendo!

Nintendo World Nº 63
Editora: Conrad
Data de publicação: novembro de 2003
Scan: crimsonphoenix
Edição: crimsonphoenix
Qualidade: 300dpi
Número de páginas: 64
Formato: PDF e CBZ

Tamanho: 78MB

Nesta edição:

– A edição já começa bem, com as cartas dos leitores!
– Nintendo no topo do mundo, 20 anos de Famicon e Mario Kart no Brasil foram as notícias marcantes do Hot Shots!
– Nostalgia, informação e um monte de cultura inútil, do Admirável Mundo Nintendo!
– Detone o game mais insano do Game Cube (Viewtiful Joe) e a versão perfeita do game de Nintendo (Super Mario Bros. 3) que foram as Estratégias da edição!
– Dicas e mais dicas para os mais variados games!
– Desafio Elite dos 4 foi destaque no Pokémon World!
– Mario Kart Doble Dash foi destaque na seção Especial!
– Previews e Reviews espetáculares!
– Pablo e Trivella batem um papinho de velho, na Linha Cruzada!

Nintendo World nº 81

ESSA REVISTA SERÁ REFEITA PARA SE ENQUADRAR NO NOVO PADRÃO DE QUALIDADE RETROAVENGERS

É meu povo, parece que essa revista não tem na internet (pelo menos eu acho, né?) então curte o material exclusivo aí!

Agora tentarei postar as revistas mais rápido, ok?

5043b-digitalizar0001Nintendo World Nº 81
Editora: Conrad
data de publicação: abril de 2005
Scan: crimsonphoenix
Edição: crimsonphoenix
Qualidade: 300dpi
Número de páginas: 64
Formato: PDF e CBZ

Tamanho: 76MB

Nesta edição:

-O pessoal da revista como foi o Game developers Conference 2005 na seção Hot Shots!
– Estratégias completas de Baten Kaitos: Eternal Wings and The Lost Ocean para Game Cube e Final Fantasy I & II: Dawn of Souls para Game Boy Advance!
– As melhores cartas que o carteiro levou na redação!
– Cruzamento Pokémon, o milagre da reprodução é retratado na seção Pokémon World!
– Dicas imperdíveis para você!
– Reviews e Previews dos melhores games da época, com direito a uma entrevista de Takao Shimizu e Yoshiaki Koizumi, respectivamente produtor e diretor de Donkey Kong Jungle Beat, na página 47!
– Perfect Dark dá as caras na Seção Retrô!
– Link detona na Linha Cruzada!

Especial: História da Revista VideoGame

No começo dos anos 90, quando os brasileiros começaram a descobrir a mágica do video game, naquela época com a famosa guerra entre Nintendo (com o NES)  e SEGA (com o Master System) que marcou a geração.

Nesta época, havia apenas uma publicação voltada para este segmento: a revista A Semana em Ação (que mais tarde se tornaria a Ação Games), que contava com um suplemento de games. Como o mercado era promissor, a editora Sigla, também resolveu lançar um suplemento de games em sua já conhecida revista Video News. O suplemento chegou às bancas em dezembro de 1990 com o nome Video News Game (que mais tarde, se tornaria a VideoGame).

A HISTÓRIA
A VídeoGame era famosa por separar os consoles em páginas coloridas e organizar as fotos de modo que parececem uma estória em quadrinhos. Ela também foi a primeira a montar mapas de jogos, o que possibilitou a primeira edição totalmente mapeada, com o jogo Alex Kidd in Miracle World, do Master System. Logo após, outra edição mapeada, com o jogo Super Mario Bros. 3, para NES. Esta última revista levou o selo da Nintendo, sendo reconhecida como produto ofical “Seal of Quality”.

Ela também cobriu eventos importantes, como o Primeiro Videogame Shopping Festival, em São Paulo, onde Toni foi vencedor do campeonato. A pedido dos leitores, foram criadas as seções de cartas, de dicas dos leitores e de classificados. Juntamente com a evolução dos games, novos consoles passaram a integrar as páginas da revista, como PC Engine, Game Boy, Game Gear e o fenômeno Super Famicom (SNES americano), a sensação do ano de 1991.

Capa da edição número 01!
Ao final do primeiro ano da revista, a equipe já estava formada: Roberto Araújo (redator chefe), Mario Fittipaldi (editor), Toni Ricardo Cavalheiro (supervisor de jogos), Noberto Marques e Daumer de Giuli (fotógrafos), Thiago Lopes Mello, Léo Varella e Luiz Carlos Mazzaferro Jr (pilotos), Sílvia Szarf, Jô Elias e Alexandre Barros da Silva (repórteres), fora toda a equipe técnica (que envolve arte, produção, marketing, etc).

O LANÇAMENTO

A revista chegou às bancas em janeiro de 1991 e esgotou rapidamente. A aceitação foi unânime. A revista Vídeo Game voltou às bancas em fevereiro de 1991, com sua segunda edição. E à partir do número 3, passou a ter periodicidade mensal, libertando-se da Vídeo News.
A revista precisava de feras em games. Então em uma locadora em São Paulo, Mario Fittipaldi, da equipe de Video News Game, colhia dicas com o pessoal das locadoras de games pela cidade. Foi quando ele conheceu Toni Ricardo Cavalheiro, que interrompeu a conversa para corrigir uma dica, que Mario pensava estar certa. Fittipaldi então viu potencial no garoto e o convidou para trabalhar na revista. Toni se superou, revelando seu potencial de terminar games complexos em poucas horas. Assim surgiu o termo “piloto de games” que eram garotos que jogavam os games, para a equipe capturar as imagens, e inseri-las em suas páginas. Com todo a material reunido era hora de ir para as bancas.

Não podia faltar Phantasy Star em suas páginas!
Como video game era algo novo, nenhum jornalista brasileiro conhecia bem este setor, não foi fácil fazer a primeira edição da revista. Também não existiam muitas publicações do ramo, ou seja, seu alvo era desconhecido. Apesar do risco, editores, colaboradores e repórteres reuniram quatro consoles (NES, Master, Mega e Atari) e começaram a jogar. Só que a equipe ainda era pequena e era difícil conseguir boas dicas, já que o acesso a internet não era tão fácil como hoje em dia.

EVOLUÇÃO
Com o passar dos anos a revista foi so modificando, assim como a própria indústria de videogames. Com a chegada de novos consoles mais poderosos, a publicação começou a diminuir o espaço das plataformas mais antigas, seguindo simplesmente as que estavam em foco e até criou um espaço para o PC no fim da revista. Os jornalistas cobriram as maiores feiras e convenções sobre games, trazendo informações em primeira mão para todos os seus leitores. Várias seções foram criadas, os detonados estavam mais completos, a revista criou muitas promoções para motivar os leitores e a revista foi remodelada diversas vezes (até um papel e impressão melhores foram implementados) para agradar o público em geral.
O FIM
Com a evolução e popularização dos videogames, surgiram publicações concorrentes e a implementação do PC na revista, que não foi bem aceita pelos leitores, então o público-alvo já não se interessava pelo conteúdo da revista, nisso as vendas cairam drasticamente, então a editora decidiu descontinuar a publicação, nos deixando com ótimas lembranças.

Confira logo abaixo o pequeno documentário que o UOL fez sobre a revista: